20 de agosto de 2015

Bebam Água!

Olá Pessoal!

Recebi esse vídeo pelo WhatsApp, achei muito legal. 
Espero que gostem e sigam as instruções contidas nele:

video



Forte abraço.

29 de julho de 2015

O velho, a criança e o burro

Você já tentou agradar a todos? Qual foi o resultado?  Será que você conseguiu? Veja nessa história abaixo, um exemplo disso:
  *Postagem publicada dia 11/2011


No interior de Minas Gerais, terra de gente muito boa e trabalhadora, havia um pequenino sítio.
Do que plantava naquela terra vivia uma humilde família, e também da criação de algumas galinhas e porcos, além de três cabeças de gado.
Esquecida do mundo, aquela gente era feliz e vivia em paz, ainda que a vida não lhe fosse fácil.
Um fiel burrico fazia parte da pequena lista de propriedades daquela família.
Era um animal valente e bem disposto, em cujo lombo havia sido carregada toda a terra removida para a construção do pequeno açude, que mantinha todos vivos na época das longas estiagens.
Com a chamada “febre da cidade grande”, quando a população campestre deixa a zona rural em busca de trabalho nos grandes centros urbanos, a família ficou reduzida a um menino, sua mãe e o avô. Os tios não apareciam havia tempo! O próprio pai da criança só às vezes mandava lembranças. Dinheiro, que é bom, nada.
Quando o menino cresceu mais um pouquinho, o avô amoroso resolveu levá-lo para ser educado na escola da cidade mais próxima, que ficava um dia de viagem do sítio. Viagem a pé, diga-se de passagem, e pela estrada de chão, fique bem claro.
O velho aprontou o burrinho e, logo de manhã cedinho, partiram os três estrada afora, o velho, o menino e o burrico. A criança ia montada no animal e o velho ia à frente, conduzindo a montaria.

Por volta das oito horas da manhã, os três pararam em frente a uma linda fazenda, com uma cerca de moirões de jacarandá, muito bem feita, que marcava os limites da propriedade. Não longe da estrada podia-se ver a casa da sede, onde a fumacinha que saía da chaminé lembrava um café fresquinho, esquentado em cima do fogão de lenha.
Uma grande turma de trabalhadores, homens e mulheres, espalhavam os grãos de café para secarem no espaçoso terreiro. Quando aquela gente toda viu o velho a pé e o menino em cima do burro, levantou-se um burburinho.
Todos comentavam: “Mas que falta de consideração com o pobre velho! Nessa idade e fazendo tanto esforço! Uma criança nova como essa pode muito bem andar por si só, sem precisar ir montada no lombo de um burro. O velho sim, precisa de montaria!”.
Um daqueles trabalhadores então gritou:

— Ô, menino! Respeite os mais velhos! Desça do burro e dê o lugar ao pobre velho!
Assim, o velho e o menino mudaram de posição: o velho montou no burro e a criança foi à frente, puxando o animal.
Por volta das dez horas, atravessaram uma pinguela, ponte estreita, feita com o tronco de uma árvore, e pararam junto a uma porteira, em frente a um grande curral, onde os boiadeiros cuidavam do gado.
Quando aqueles homens viram a criança abrir e fechar a porteira, enquanto o velho passava em cima do burro, comentaram: “Pobre criança! A coitadinha vai pela estrada a puxar o animal e a abrir as porteiras, como se fosse uma escrava daquele velho mau e preguiçoso!” Um deles gritou:

— Ô velho! Tem vergonha não? Tenha pena dessa pobre criança!
Assim, o velho deu a mão ao menino e ele, ariscamente, pulou para cima do burro. Lá se foram caminho afora, os dois em cima do burro, vagarosamente.
Às duas horas da tarde, ao fazerem a curva que contornava um morro todo plantado de milho, avistaram um arraial em festa. Um grupo de pessoas celebrava em torno de um braseiro, onde um vistoso assado enchia o ar de sabor.
Ao verem o velho e o menino montados no burro, comentaram: “Mas que maldade com o bichinho! Dois montados em um pobre burrinho!” E gritaram:

— Vocês vão matar esse animal de cansaço!
Assim, o velho e o menino apearam e seguiram a pé pelo caminho, puxando o burrinho. Mais outro tanto de caminhada e os três chegaram, finalmente, muito cansados à cidade.
Passando pela porta de um botequim, alguém maldosamente comentou de lá de dentro: “Olhem só! Três burros: dois na frente puxando outro pela cordinha!”
Atravessando a cidade, atingindo enfim o portão da esco­la, mais alguém comentou: “O velho tá pagando promessa, sô? Se Deus lhe deu um burro, por que não monta nele? Será que não tem pena dessa criança?”
Quando se despedia do neto, o velho comentou:

— Meu filho, lembre da lição que Deus nos deu hoje. Quando você montava o burro, os que trabalhavam no terreiro, espalhando os grãos, não lembraram de nos oferecer um café, mas souberam te criticar. Os boiadeiros não se ofereceram para cuidar do nosso burrinho, dando-lhe água e um pouco de alimento, mas criticaram a mim.
Os festeiros não nos ofereceram um pouco do assado, ainda que fosse a hora do almoço, mas criticaram a nós dois. Por fim, chegando à cidade, na porta da escola, antes de nos receberem e nos darem boas-vindas, vindo nós de tão cansativa viagem, criticaram a todos nós, incluindo nosso pobre burrico. Prepara-te, meu filho, para a vida no mundo.
"Você nunca deve tentar agradar a todos, se você tentar agradar a todos, acabará não agradando a ninguém".

Conforme nos alertou o Senhor Jesus, há pessoas que sempre criticam, seja lá o que for. Ele também sofreu com isso, pois certa vez também foi vítima desse hábito das pessoas. Ele mesmo nos advertiu quanto a isso:

“Pois veio João, que não comia nem bebia, e dizem: Tem demônio! Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizem: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!” Mateus 11.18,19
Abraços!

Inveja: Os maus olhos do coração.

Inveja: Os maus olhos do coração.            

Até que ponto esse sentimento pode destruir a vida de uma pessoa?
Cruel é o furor, e impetuosa, a ira, mas quem pode resistir à inveja?” (Provérbios 27:4).

A inveja faz parte de muitas situações do cotidiano e sempre foi um grave problema no relacionamento humano, é uma condição emocional sorrateira, que queima como fogo de palha, por baixo e sem fumaça.

Você sabia que uma das emoções mais devastadoras é a inveja? É o tipo mais antigo de pecado (Is 14:14) e pode ferir não só as relações interpessoais (2Co 12:20) mas também a saúde física (Pv 14:30).

A inveja, está por trás de algumas atitudes e comentários de pessoas que nos cercam, é definida como um sentimento de profundo pesar pelo sucesso alheio. O comportamento de um invejoso não difere muito de um crítico, de um ressentido, de um coração magoado. Nenhuma dessas condições é propriamente, inveja. Mas esta pode estar “orquestrando” a todas aquelas, por trás.
A pessoa invejosa sofre mais pelo que os outros tem, do que pelo que lhe falta.

Frases como:
“Queria ter um carro igual ao seu.” “Quem me dera ter o salário dele.” “Gostaria que meu namorado fosse igual ao seu.”, por exemplo, carregam não somente o desejo pelo que é do outro, mas também a frustração de não ter aquilo, uma energia capaz de interferir negativamente na vida de quem é vítima desse sentimento, gerando intrigas, fofocas, competição e, em alguns casos, até crimes.

A inveja parece ser quase inofensiva, mas seus frutos são cruéis a ponto de prejudicarem suas vítimas ao extremo.

Uma pesquisa publicada na edição de fevereiro de 2009 da revista American Journal of Science (Jornal Americano da Ciência, em português), em que uma equipe de cientistas japoneses conseguiu identificar a região do cérebro que controla o sentimento de inveja. Para o pesquisador-chefe do Departamento de Neuroimagem Molecular do Instituto Nacional de Ciência Radiológica do Japão, Hidehiko Takahashi, de 37 anos, a inveja pode levar uma pessoa a praticar um ato destrutivo e até criminoso para conseguir o que deseja. Esse sentimento costuma ser pessoal e freqüentemente, provoca violência, tanto psicológica (abuso verbal, calúnia, crítica) como física.

A Bíblia fala sobre a inveja muito mais do que se imagina. Segundo as Escrituras Sagradas, a inveja é um dos males mais antigos que se tem notícia.

O primeiro caso relatado aconteceu entre Caim e Abel, os filhos de Adão e Eva. Ambos apresentaram ofertas de sacrifício a Deus, mas o Senhor agradou-Se apenas do sacrifício de Abel.
Assim, tomado pelo espírito de inveja, Caim assassinou seu irmão. Mas a culpa foi do próprio Caim, pois se tivesse feito o melhor, Deus teria se agradado dele. Afinal, o Senhor é Justo Juiz.

Então, o que devemos fazer para não sermos vitímas desse sentimento destruidor?

Bom, com certeza, devemos usar nossa fé. Pois a "fé" é uma ferramenta imbatível contra a inveja, tendo em vista que é uma fonte de vida, um verdadeiro tesouro inesgotável que não se pode colocar em risco sob hipótese nenhuma. E além da fé, use a sua sabedoria...

Procure não expor suas convicções pessoais a todos, justamente para não despertar inveja. O Senhor Jesus disse que não devíamos lançar pérolas aos porcos, portanto, procure agir sua fé sem tocar trombeta.

Pois é, o "segredo", ainda é uma arma poderosa, assim nada poderá atingi-lo, nem mesmo a inveja, e lembre-se:
"O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos." (Provérbios 14:30)

Fontes de inspiração: Biblia e Folha Universal

VEJA ESSE VÍDEO

23 de julho de 2013

Teia de Aranha

Uma vez um homem estava sendo perseguido por vários malfeitores que queriam matá-lo.


O homem, correndo, virou em um atalho que saía da estrada e entrava pelo meio do mato e, no desespero, elevou uma oração a Deus da seguinte maneira:


- Deus Todo Poderoso, fazei com que dois anjos venham do céu e tapem a entrada da trilha para que os bandidos não me matem!!!

Nesse momento escutou que os homens se aproximavam da trilha onde ele se escondia e viu que na entrada da trilha apareceu uma minúscula aranha.

A aranha começou a tecer uma teia na entrada da trilha.

- Senhor, eu vos pedi anjos, não uma aranha. Senhor, por favor, com tua mão poderosa coloca um muro forte na entrada desta trilha, para que os homens não possam entrar e me matar...

Então ele abriu os olhos esperando ver um muro tapando a entrada e viu apenas a aranha tecendo a teia.

Os malfeitores estavam entrando na trilha, na qual ele se encontrava, e ele estava esperando apenas a morte.

Quando passaram em frente da trilha o homem escutou:

- Vamos, entremos nesta trilha.
- Não, não está vendo que tem até teia de aranha? Nada entrou por aqui. Continuemos procurando nas próximas trilhas.

Fé é crer no que não se vê, é perseverar diante do impossível.

Às vezes pedimos muros para estarmos seguros, mas Deus pede que tenhamos confiança n'Ele para deixar que Sua Glória se manifeste e faça algo como uma teia, que nos dá a mesma proteção de uma muralha.

Autor desconhecido


Nunca desanime em meio às lutas, siga em frente, pois Deus disse: “diga ao fraco que Eu sou forte”.
São nos momentos mais difíceis que encontramos em Deus a nossa força.

Monica

20 de julho de 2013

AMIZADE


Um filho pergunta à mãe:
- Mãe, posso ir ao hospital ver meu amigo? Ele está doente!
- Claro, mas o que ele tem??
O filho, com a cabeça baixa, diz:
-Tumor no cérebro.
A mãe, furiosa, diz:
E você quer ir lá para quê? Vê-lo morrer?
O filho lhe dá as costas e vai
Horas depois ele volta Vermelho de tanto chorar, dizendo:
- Ai mãe, foi tão horrível, ele morreu na minha frente!
A mãe, com raiva:
- E agora?! Tá feliz?! Valeu a pena ter visto aquela cena?!
Uma última lágrima cai de seus olhos e, acompanhado de um sorriso, ele diz:
- Muito, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer:
"- EU TINHA CERTEZA QUE VOCÊ VINHA!"
Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas, alegria e festa.
Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.
CONSERVEM SEUS AMIGOS! O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO!

19 de junho de 2013

Projeto novo


Cheguei no meu trabalho com grande expectativa, porque o projeto em que eu trabalhava terminou e eu teria que fazer o treinamento de um novo. Minha expectativa era saber qual seria o novo projeto que eu iria trabalhar.
Quando cheguei, um dos supervisores logo veio me dizer:
- Você fará o projeto “TAL”.
Ai meu Deus, que decepção! Na hora que recebi a notícia, fiquei tão brava; Vê se pode...
Tive essa reação porque maioria das pessoas que trabalharam nesse "Tal" projeto; Faziam dele um “monstro”.
E eu, sem ter trabalhado e me baseando nas opiniões dessas pessoas, logo fiz de tudo para não ir, usei até de bons argumentos, mas não adiantou...
Para piorar o supervisor desse projeto também não tinha boa fama; Diziam que ele é agitado, briguento, exigente, e assim vai. 
Mas vejam como são as coisas, eu tive a oportunidade de ter vários tipos de reação, mas escolhi ficar, aflita, chateada, aborrecida, preocupada...
Pouco antes de começar o treinamento, fiz uma oração, pedindo a Deus que fizesse o que fosse melhor para mim, e agradeci por tudo. Imediatamente meu coração se aquietou.
Hoje faz vinte dias que estou trabalhando nesse outro projeto. O supervisor não é bem o que disseram, é educado, competente, e o projeto em si, não é um monstro, simplesmente é preciso muita atenção para realiza-lo. Mas eu particularmente acredito que qualquer coisa que façamos, devemos agir assim.
  • O que eu tiro dessa situação?
Que mais uma vez o medo, me fez pensar e agir precipitadamente, me impedindo de enfrentar o novo, o desconhecido.
Que jamais devo julgar alguém, principalmente sem conhecê-lo;
E nunca mais devo me esquecer que Deus tem sempre o melhor pra mim e que preciso confiar nisso.

Abraços.
Monica Carvalho
FacebookComunidade Orkut 

12 de abril de 2013

TELEFONES DE EMERGÊNCIA

Telefones de emergência


Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?
E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?
E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório…?

E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se a déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?

Ao contrário do celular, a Bíblia não fica “muda” é só abrí-la e Deus fala contigo.. Ela ‘pega’ em qualquer lugar.
Não precisa “pagar” para ter créditos ” automaticamente ao ler e praticá-la os créditos caem em sua conta, porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim. E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”. (Is 55:6)*

TELEFONES DE EMERGÊNCIA: 

Quando você estiver triste, ligue João 14.
Quando pessoas falarem de você, ligue Salmo 27.
Quando você estiver nervoso, ligue Salmo 51.
Quando você estiver preocupado, ligue Mateus 6:19,34.
Quando você estiver em perigo, ligue Salmo 91.
Quando Deus parecer distante, ligue Salmo 63.
Quando sua fé precisar ser ativada, ligue Hebreus 11.
Quando você estiver solitário e com medo, ligue Salmo 23.
Quando você for áspero e crítico, ligue 1 Coríntios 13.
Para saber o segredo da felicidade, ligue Colossenses 3:12-17.
Quando você sentir-se triste e sozinho, ligue Romanos 8:31-39.
Quando você quiser paz e descanso, ligue Mateus 11:25-30.
Quando o mundo parecer maior que Deus, ligue Salmo 90.

Anote em sua agenda, um deles pode ser IMPORTANTE a qualquer MOMENTO em sua VIDA!!! Repasse para seus contatos… Pode ser que um desses números de emergência salve uma vida!!!

25 de janeiro de 2013

Dez dicas: Cuidados para se viver bem!

1. Domine a Língua. Diga sempre menos do que pensa. Cultive uma voz baixa e suave. O modo de falar impressiona mais do que o conteúdo da fala.

2. Pense antes de fazer uma promessa e depois não a quebre, nem dê importância ao quanto lhe custa cumpri-la.

3. Nunca deixe passar uma oportunidade para dizer uma coisa meiga e animadora a uma pessoa ou a respeito dela.

4. Tenha interesse nos outros, em suas ocupações, em seu bem-estar, seu lar e família. Seja sempre alegre com os que riem e lamentem com os que choram. Aja de tal maneira que as pessoas com quem se encontrar sintam que você lhes dispensa atenção e lhes dá importância.

5. Seja alegre. Conserve para cima os cantos da boca. Esconda suas dores, desapontamentos e inquietações sob um sorriso. Ria de histórias boas e aprenda a contá-las.

6. Conserve a mente aberta para todas as questões em discussão. Investigue, mas não argumente. É próprio das grandes mentalidades discordar e ainda conservar a amizade de seu oponente.

7. Deixe as suas virtudes, se as tiver, falarem por si mesmas e recuse falar das faltas e fraquezas dos outros. Condene os murmúrios. Faça uma regra de falar só coisas boas dos outros.

8. Tenha cuidado com os sentimentos dos outros. Gracejos e críticas não valem a pena e freqüentemente magoam quando menos se espera.

9. Não faça questão das observações más a seu respeito. Viva de modo que ninguém as acredite.

10. Não seja excessivamente zeloso dos seus direitos. Trabalhe, tenha paciência, conserve-se calmo, esqueça-se de si mesmo e receberá a recompensa.

22 de outubro de 2012

A verdadeira Beleza aos olhos de Deus


A Bíblia fala de mulheres que ficaram marcadas não só pela beleza mas pelo seu amor ao Senhor Jesus.

 Ana, por ser amada pelo seu marido e pela sua fé e perseverança ao Orar.

Ester além de bela, foi obediente e corajosa e salvou o povo de Deus.

Abgail além de formosa, inteligente e salvou vidas.

Sara ainda que tivesse 100 anos chamou atenção de um rei e de um Faraó, e foi abençoada por sua abnegação em deixar todo luxo do seu lar e seguir seu esposo.

Sulamita, que apesar de ser cortejada por um rei muito rico e sábio ela foi fiel ao seu grande amor, um simples pastor.

Raabe arriscou sua vida para salvar os servos de Deus, e mudou de proceder.

Priscila que levou uma vida abnegada na fabricação de tendas, para poder se dedicar mais ao ministério seguindo o Apóstolo Paulo.

As filhas de Felipe que foram profetizas e se dedicaram inteiramente ao Senhor.

A filha de Jefté que sofreu muito, porém cumpriu o voto que seu pai fez para o Senhor.

Marta e Maria que depositaram grande fé em Jesus.

Maria Madalena que mudou de proceder e se arrependeu tendo o privilégio de ser uma das primeiras a ver Jesus quando ressucitado.

Rute que por sua lealdade Deus a abençoa e assim se torna antepassada de Jesus.

Maria que aceita a missão de Deus em se tornar a mãe de Jesus mesmo correndo o risco de ser apedrejada por ainda ser solteira.

E Você que só de amar ao Senhor Jesus tem qualidades inigualáveis as quais Deus admira.

Quando você pensar que não tem valor, ou estiver com sua auto-estima baixa, lembre-se que já é privilegiada por servir ao Senhor Jesus e que juntas compomos um grande exército, somos as ajudadoras do Senhor e Ele confia um grande trabalho para nós de sermos pioneiras em levar seu nome.

Portanto, a verdadeira beleza tem que ser completada com outros atributos, além da beleza exterior.

1 de setembro de 2012

Donos da verdade… Será?!

Certa vez os índios perguntaram ao novo cacique se o inverno seria rigoroso naquele ano.

Ao contrário do seu falecido pai, que nunca tinha errado uma única previsão do tempo em toda a sua vida, ele não tinha a menor idéia de como fazer isso, mas, para não ficar sem dar uma resposta, afirmou que o inverno seria rigoroso.

Imediatamente, todos saíram em busca de lenha para armazenar.

O rapaz, preocupado com a situação (afinal, a sua palavra estava em jogo), resolveu ligar para o serviço de meteorologia daquela região indagando como seria o inverno naquele ano: - Será rigoroso, responderam-lhe eles.

Com o endosso do serviço meteorológico, chamou os índios e reforçou sua previsão de um inverno rigoroso.

Os índios, então, intensificaram a coleta de lenha e passaram a se dedicar quase que exclusivamente só a isso.

Preocupado agora com o frenesi que se instalou na aldeia, o cacique consultou novamente o serviço de meteorologia: - O inverno vai ser muito rigoroso, confirmaram eles.

- Vocês têm certeza disso, é claro? - perguntou-lhes o jovem, tentando reencontrar sua paz interior.

- Sim, temos absoluta certeza! - respondeu-lhe o pessoal da metereologia.

- Mas, como vocês podem ter tanta certeza? Como vocês fazem para prever o clima assim, com tanta antecedência, sem medo de errar?

A explicação daqueles metereologistas quase matou o jovem cacique do coração:

- Escute, meu amigo, nossa estação metereológica fica próxima de uma aldeia indígena que há décadas nos ajuda a fazer a previsão do tempo. Quando os índios começam a juntar muita lenha, é porque o inverno vai ser muito rigoroso. Pode confiar!

Deixai-os; são guias cegos;
ora, se um cego guiar outro cego,
ambos cairão no barranco.
Mateus 15.14

Obs:
A falta de humildade muitas vezes nos levam a cair em ciladas armadas por nós mesmos.
"O temor do SENHOR é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai a humildade." (Provérbios 15:33)

Popular Posts

Não estamos só

     

 
z35W7z4v9z8w