12 de abril de 2010

Quando vir alguém necessitado, Ajude

Certa vez uma senhora com um bom nível econômico e cultural pegou seu carro e seguiu viagem por uma estrada deserta e perigosa.
Ela foi visitar uma prima que estava doente.
Após algumas horas de estrada, ela percebe que algo de errado aconteceu: um pneu de seu carro furou.
Ela logo pensou: “Puxa, mas que azar! Logo aqui nessa estrada que é tão perigosa!” Olhou pelo retrovisor e deparou-se com um sujeito simples vindo em direção ao seu automóvel.
Ela por um instante teve medo, pois estava ali sozinha.
O homem ao chegar perto dela ofereceu ajuda:
- Num minuto eu resolvo isso pra senhora – disse ele.
Ela respondeu:
- Oh, que bom que você apareceu, rapaz!
Assim que o homem acabou de trocar o pneu, ela imediatamente pergunta seu nome.
Ele responde:
- Zezinho.
A senhora pergunta:
- Quanto lhe devo por este serviço?
Zezinho responde:
- Nada não, madame.
Ela insiste umas três vezes. Zezinho nega a todas elas e diz:
- O que a senhora pode fazer é o bem ao próximo.
Quando vir alguém necessitado, ajude.
Assim a senhora estará pagando meu serviço.
A senhora partiu viagem, olhando pelo retrovisor a imagem de Zezinho, um homem com aparência simples e sofrida. E pensa no que ouviu dele. Acha muito interessante e ao mesmo tempo rara aquela atitude.
Uns dez minutos depois, ela resolve parar para tomar um lanche numa lanchonete na beira da estrada. Ao entrar no estabelecimento, uma jovem com uma enorme barriga vem atender-lhe com muita simpatia. 
Enquanto a jovem grávida vinha servir-lhe, a senhora observava o esforço dela ao andar, e pergunta:
- De quantos meses você está?
A jovem responde:
- Já estou indo para o nono mês...e já me sinto exausta. Não agüento nem mais andar direito! – diz a moça sorrindo.
- E você sai muito tarde daqui? - pergunta à senhora.
- Sim... Às vezes quase de madrugada, pois estou fazendo hora extra pra tentar comprar o enxoval pro meu neném, pois ainda não tenho nada.
A vida ta muito difícil né? – lamenta a jovem.
- É verdade, minha filha! Por favor me dê a conta.
Enquanto a jovem foi buscar a conta, a senhora fez um cheque generoso e deixou em cima da mesa com um bilhete: 
“Isso é apenas um gesto de amor, em agradecimento a uma bondade que recebi hoje”. Quando vir alguém precisando de você, ajude. Fique com Deus, e um bom parto para você!
A jovem quando leu aquilo quase não acreditou. Ficou muito feliz e agradeceu a Deus, pois iria poder finalmente compor o enxoval de seu neném.
Quando a jovem chegou em casa, seu marido já dormia, pois já era muito tarde. Ela deitou-se ao seu lado e sussurrou no seu ouvido:
“Zezinho, Deus abençoou a gente...eu te amo!”
Obs:  O Zezinho colheu o que plantou...

Reações:

3 Comentários:

  1. Parabéns pelo novo blog. Esse texto é muito interessante e uma grande verdade.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza colheremos o que plantar-mos. Bela História.

    ResponderExcluir

Popular Posts

Não estamos só

     

 
z35W7z4v9z8w